Orientações

Anestesia

A anestesia é procedimento fundamental a sua saúde durante a cirurgia. Ela será realizada por um médico com especialização nesta área. Ele possui experiência prática com os procedimentos, resolução de emergências e funcionamento adequado dos equipamentos a serem utilizados.
 
Antes ele realizará uma breve entrevista, lhe argüindo sobre seus antecedentes clínicos e cirúrgicos, eventuais doenças e medicações em uso. Checará seu exames pré-operatórios, lhe explicará sobre as etapas da anestesia e suas reações ao despertar.
 
Existem três tipos de anestesia em cirurgia plástica: local associada a sedação, anestesia regional e anestesia geral.
 
A anestesia local combinada a sedação é utilizada em vários procedimentos, desde pequeno porte, onde é mais freqüente, a cirurgias mais prolongadas. È realizada preferencialmente em pacientes com boa saúde e estáveis emocional e fisicamente. Sempre sob adequada monitorizaçao, medicamentos sedativos para induzir o sono leve ou moderado e uma solução anestésica é injetada na região a ser operada. Isso permite o paciente dormir ou ficar levemente desperto.
 
A anestesia regional atinge áreas mais setorizadas como o tórax, abdome e membros. As mais freqüentes são raqui e a peridural, onde a solução anestésica é injetada na coluna. Essas técnicas, alem de retirar a dor, oferecem uma sensação de dormência e relaxamento muscular na área anestesiada. Medicamentos costumeiramente são usados para induzir um sono leve e maximizar o conforto do paciente.
 
A anestesia geral é indicada para procedimentos de maior porte, que necessitam de inconsciência total, maior controle e proteção das vias aéreas. Essa técnica é mais segura em pacientes que possuem doenças crônicas e/ou que utilizam medicamentos indutores do sono, antidepressivos, ansioliticos, drogas ilícitas e álcool. A anestesia geral pode ser realizada tanto com medicamentos intravenosos e/ou inalatórios. A anestesia geral produz abolição total da dor, do despertar durante a cirurgia e da memória.
 
Os riscos e complicações em anestesia dependem de vários fatores, em sua grande maioria controláveis. Nesta avaliação, seguramente, o mais importante é a condição física e mental do paciente no momento da cirurgia. Por isso, pacientes com problemas cardíacos, hipertensão arterial, quadros pulmonares e outras doenças crônicas serão rigorosamente avaliados antes da cirurgia e só serão anestesiados se estiverem compensados clinicamente.
 
As possíveis reações à anestesia dependem da região operada, tempo e porte da cirurgia e da técnica anestésica escolhida. A sonolência residual e náusea são comuns e geralmente de curta duração, pois os medicamentos atuais são rapidamente metabolizados pelo organismo. Outra reação freqüente é o tremor, causado pela exposição da superfície corporal e o uso de líquidos alcoólicos para higienizaçao da pele durante a cirurgia. Esses fatores podem levar a queda da temperatura corporal. Durante a cirurgia, a infusão de soro aquecido e o uso de mantar térmicas serão úteis para minimizar o problema.
 
As alergias são quadros pessoais e relativamente raros, ocorrendo na proporção de 1/3.500 até 1/14.000 das anestesias. Geralmente essas alergias são pouco graves e possuem tratamentos efetivos e consagrados. Em alguns casos, pode ser mais grave e com desfecho preocupante. Por isso, é essencial avisar ao anestesista caso haja alguma alergia conhecida antes da cirurgia.
 

Aspectos emocionais

Uma “sensação de depressão” é relativamente comum durante o período inicial após a realização da cirurgia, devido às alterações ocasionadas pelo inchaço e equimoses. Além disso, após a cirurgia, pacientes esperam uma melhora instantânea de sua aparência, mesmo que racionalmente haja um entendimento de que isso não ocorrerá. Podem também ocorrer insatisfação devido ao uso da cinta ou do repouso e restrições necessárias a uma boa recuperação.
 
Consequentemente, podem surgir duvidas em relação à decisão de ter realizado o procedimento. Relaxe, isso é normal. À medida que a cicatrização progride, esses pensamentos costumam desaparecer rapidamente. Se sentir tristeza, procure entender isso como uma fase natural do processo de recuperação – é uma fase transitória. Se persistir, converse conosco, estamos à sua disposição.
 
O apoio da família e dos amigos é fundamental durante o período de recuperação. Porém, ocasionalmente você ouvirá comentários de pessoas leigas que, apesar de não intencionais, podem levar a algum grau de instabilidade emocional.
 
Se sentir tristeza, procure entender isso como uma fase natural do processo de recuperação – é uma fase transitória. Se persistir, converse com seu médico. Procure confiar na sua capacidade e experiência, e ele lhe informará sempre sobre o seu progresso e as expectativas em termos de resultado final.

Cirurgia plástica

O objetivo principal da cirurgia plástica é proporcionar harmonia e bem-estar a pessoas com sinais de envelhecimento ou deformidades, resgatando a auto-estima e proporcionando a reintegração do individuo a seu grupo social. Nos tempos modernos, esta especialidade assumiu papel importante, pois, apesar de ás vezes inadequadamente, uma boa aparência pode influenciar em varias áreas da vida social, profissional e pessoal. Quando melhoramos nossa aparência, aumentamos nosso orgulho e auto-estima, o que pode maximizar nossa performace em vários aspectos.

Algumas pessoas se perguntam porque realizar uma cirurgia plástica. A resposta é desenvolver o propósito fundamental da vida, atingir uma sensação de realização e felicidade. Que fique claro que, o tratamento não resolve problemas como infelicidade no casamento, dificuldades e alterações psíquicas, especialmente se ele credita esses problemas a sua aparência. Portanto os motivos devem ser realistas.

A cirurgia plástica estética foi desenvolvida visando reverter ou disfarçar alguns sinais do envelhecimento. Porém, nem sempre conseguimos recriar as condições existentes na juventudo, assim como as vezes é impossível atingir as expectativas do paciente. O objetivo do cirurgião é sempre melhorar a aparência de seu paciente da forma mais equilibrada e natural possível.

A cirurgia reparadora tem como proposta restaurar a forma e/ou função do corpo que sofreram alterações devido a acidentes, queimaduras, câncer, defeitos congênitos ou adiquiridos.

Fazendo parte da medicina, a cirurgia plástica não é uma ciência exata mas sim uma especialidade que envolve grande subjetividade. Inclusive, o grau de sucesso de uma cirurgia depende de vários fatores, não apenas da habilidade do médico. Aspectos como idade, saúde, estilo de vida, textura de pele, qualidade dos tecidos, estrutura óssea, doenças associadas, expectativas do paciente e fatores inerentes à cicatrização influenciam de forma decisiva. Quando todas essas variáveis colaboram, a chance de obter um resultado satisfatório é maior.
Qualquer cirurgião estaria sendo antiético se garantisse os resultados de qualquer tratamento realizado. Podemos apenas nos esforçar ao Maximo para ajudar o paciente a atingir um resultado satisfatório.

O processo de envelhecimento é continuo, conseqüentemente o resultado da grande maioria das cirurgias não é para sempre. Os fatores citados acima intensificam ou não a necessidade de procedimentos adicionais a manutenção.
Na maioria dos casos, a decisão final sobre a realização de uma cirurgia plástica depende fundamentalmente do paciente. É bom considerar que, nem todos os pacientes podem ser bom candidatos a determinada cirurgia e que determinadas cirurgias não são recomendadas a todos que solicitam, o cirurgião pode uma cirurgia diferente da que você deseja ou não indicar a cirurgia para seu caso.

Orientações gerais

O nosso relacionamento entre médico e paciente objetiva o bom resultado da cirurgia. Somos uma equipe e, por isso, nossa relação deve se basear em honestidade, sinceridade, amizade e confiança. Juntamente com você, esperando os melhores resultados possíveis para seu caso.
 
A Cirurgia Plástica tem por finalidade proporcionar efeitos mais harmônicos em determinadas regiões ou mesmo equilibrar o conjunto da nossa aparência que pode estar marcada pelo tempo ou por desconformidade com os padrões de “beleza”. Portanto, a finalidade é fazê-lo (a) parecer tão bem quanto possível, dentro de suas características individuais.
 
Por combinar arte e ciência, a cirurgia plástica está sujeita a variações inerentes ao mecanismo fisiológico, que é específico e pessoal. Também, a particularidade do caso, deverá ser avaliada e ponderada, confrontando o desejo do paciente com suas limitações físicas.
 
A cirurgia estética busca melhores resultados, porém, é importante entender quanto melhores estes resultados poderão ser para evitar uma expectativa além dos limites permitidos a cada caso.
Já a cirurgia reparadora visa a recuperação funcional e/ou anatômica de uma ou mais regiões específicas do corpo,restabelecendo total ou parcialmente a capacidade física e a integridade psíquica. Os dois tipos de cirurgias plásticas, como todo procedimento cirúrgico, não estão livres de riscos e seus resultados podem ser limitados, conforme a extensão e a complexidade dos problemas existentes.
 
Alguns fatores na evolução de uma cirurgia independem da atuação e capacidade do cirurgião. Assim, não sendo uma ciência exata, não é possível garantir resultados pré-determinados. Idade, peso, espessura e textura da pele, influências hereditárias e hormonais, o momento psicológico vivido pelo (a) paciente, dentre outros irão influenciar nos resultados, sobre os quais, o cirurgião não tem a menor ingerência.
 
Lembrando também que todo ser humano possui um lado do corpo diferente do outro, e isso também influencia o resultado final da cirurgia, devido a essa assimetria.
 
Muitos questionam sobre os riscos da cirurgia. Toda cirurgia tem riscos, mas estes são geralmente previsíveis e na maioria das vezes, controláveis. As intercorrências vão desde cicatrizes inestéticas, edema (inchaço), equimoses (manchas roxas na pele), seromas (acúmulo de líquidos), hematomas, alterações transitórias ou definitivas de sensibilidade, alergias, trombose, embolia e até risco de vida.
 
A cirurgia estética, como procedimento eletivo, é uma conduta cirúrgica planejada, podendo aguardar a oportunidade ideal para ser realizada, razão pela qual os riscos sistêmicos a ela inerentes são menores
 
“O paciente precisa entender que a plástica é um ramo nobre da cirurgia geral e, como tal, é procedimento de risco. Uma transformação radical só Deus poderia fazer.” (Ivo Pitanguy)
 
“A plástica, ramo da cirurgia geral, está sujeita ao imponderável da medicina.” (Cláudio Cardoso de Castro)
 
Evidentemente, uma técnica apurada e medidas obrigatórias de segurança contornam várias destas situações. Mesmo assim, problemas no trans e pós-operatório podem ocorrer. É importante compreender que nós jamais teremos a intenção de cometer um ato de imprudência, negligência ou imperícia.
 
Problemas podem ocorrer, embora com baixa freqüência.
Na ocorrência de algum problema, sofrem tanto o(a) paciente como o cirurgião e, nessa situação, tudo será feito para que não haja conseqüências irreparáveis.
 
Ser submetido(a) a um procedimento cirúrgico não é uma experiência normal para a maioria de nós. Conseqüentemente, esta etapa do tratamento é invariavelmente acompanhada de algum grau de ansiedade. Conhecer todas as etapas do tratamento pode constituir um caminho para proporcionais conforto e tranqüilidades.
 
O principal, no entanto, é seguir criteriosamente as orientações de seu médico para um bom resultado.
 
Afinal, a satisfação com os resultados de uma “plástica” não depende apenas do seu planejamento.
 
Alguns cuidados antes e depois da cirurgia podem prevenir possíveis complicações e promover um resultado mais satisfatório. A colaboração plena do(a) paciente, seguindo as instruções dadas por nós têm grande importância no resultado da cirurgia.
 
Importante também é salientar as assimetrias do corpo humano, que algumas vezes não são observadas pelos(as) pacientes, e nem sempre são passíveis de correção. Muitas vezes elas já existiam antes da cirurgia e continuarão a existir. Uma metade não é igual à outra. Algumas vezes os(as) pacientes somente passam a notá-las após uma observaçãodetalhada no pós-operatório.
 
Outro fato às vezes incompreendido é a idéia de que a cirurgia plástica não deixa cicatrizes. A verdade é que toda cirurgia deixa cicatrizes que poderão ser mais ou menos visíveis. De acordo com o caso, elas podem ser escondidas em linhas naturais da pele, dentro do cabelo, possibilitando o disfarce através das vestes, além de serem realizadas com técnicas minuciosas para minorar sua aparência. Obviamente, o resultado final de uma cicatriz dependerá de vários fatores, como por exemplo, dos cuidados locais empregados no período pós-operatório, da capacidade intrínseca de cicatrização do(a) paciente, das condições patológicas associadas, alergia a fios cirúrgicos, uso de determinados medicamentos, fatores locais (, dentre outros.
Lembre-se que a evolução desfavorável de uma cicatriz pode ocorrer independente da melhor técnica utilizada e não culpe o cirurgião por ela, já que este mecanismo é intrínseco e diz respeito à carga genética.
 
Toda cicatriz apresenta um tempo de evolução que somente no seu final apresentará um resultado definitivo.
 
Não fique ansioso (a) para ver os resultados da cirurgia logo nos primeiros dias. O nosso corpo precisa se adaptar às novas condições. Após o trauma cirúrgico ocorrem fenômenos normais de evolução como edema (inchaço) e acomodação dos tecidos.
 
Alguns aspectos estéticos, para serem resolvidos, exigirão mais de uma cirurgia. Retoques podem ser necessários para melhoria da qualidade devem ser levados em consideração.
Intercorrências de qualquer natureza se houver, deverão ser resolvidas, ainda que sua solução implique em nova cirurgia.
 
Os retoques posteriores à operação devem obedecer a um critério de tempo de espera, até que os tecidos possam ser manipulados novamente. Neste caso é importante não ser impaciente. Uma cirurgia nlizum momento inoportuno em geral não oferece resultado compensador.
 
Para fins de honorários, será considerado retoque, todo procedimento indicado pelo seu cirurgião seguinte à primeira cirurgia, num período subseqüente de 12 meses. Após este período, qualquer intervenção cirúrgica será considerada como um novo procedimento, independente do primeiro, mesmo que nas mesmas áreas.
 
Oferecer serviços de alta qualidade com o menor custo possível é nossa meta. A perda da relação custo/benefício pode prejudicar a eficiência dos resultados. Sua segurança e tranqüilidade valem muito mais e devem ser uma prioridade. O crescimento e estabilização recentes de nossa economia promoveram uma socialização de nosso especialidade possibilitando hoje a uma enorme parcela da população ser submetida a uma cirurgia plástica.

Quando operar

Pessoas de idades variadas, profissões distintas e todas as classes sociais estão investindo em cirurgia plástica hoje. Embora não seja para todos, há varias razoes para considerá-la. Alguns querem recupera algo da aparência da juventude, outros melhorar uma herança genética, repara a pele com danos caudados pela exposição prolongada ao sol, reverter os efeitos da gravidez ou perda peso. Todas tem o mesmo objetivo: sentir-se melhor.

Se pergunta-se se precisa de uma cirurgia estética a resposta é não. Você deve querer fazê-la. Embora complexo, você deve decidir o que é o melhor para si.

A cirugia pode ser uma das maiores e mais positivas experiências de sua vida, mas não substitui uma vida saudável, regada a alimentação saudável, exercícios e boas decisões. Não é o segredo da felicidade.

Para obter um resultado gratificante com a cirurgia estética, você deve observar-se no espelho e determinar o que lhe incomoda. Defina o que deve ser corrigido anter de discutir com a família, amigos e conosco. Nnunca considere um procedimento exclusivamente para agradar o outro, nem deixa se perder de seu objetivo, a menos que diagamos que aquilo é inadequado ou arriscado para você. Afinal quem convive com o problema é você.

Se seus interesses são verdadeiros e suas motivações são emocionalmente idôneas, você deve da a si o direito de mudar algum aspecto de sua aparência física. Mas se você encara a cirurgia estética como chance de mudar a sua vida e solucionar problemas sociasi, afetivos ou psicológicos, você precisa de auxilio psíquico e não de uma cirurgião plástico.
Existe um limite para o que se é possível para obter com a cirurgia plástica. Os pacientes que mais ficam felizes são os que aceitam aquilo que é possível. A principal causa de desapontemento com o resultado é quando ele não atende a expectativas do paciente, isso em geral acontece quando essas são irreais. Há coisas não são possíveis de serem feitas pois há limites dos tecidos e técnicas.

Uma conversa cuidados para desfazer todas suas duvidas é o melhor caminho para desfazer expectativas irreais. Uma queixa e expectativa concretas e especificas e educação sobre o procedimento resultarão em um resultado final satisfatório.
Para se satisfazer com o resultado, é preciso também enterder que existe um tempo de recuperação, acompanhado de algum grau de dor e cicatriz no pós-operatório. O resultado nunca é imediato. Não alimentar ilusões evita frustrações. Todos têm algum grau de assimetria, podem haver diferenças entre um lado e outro que vão persistir após a cirurgia.
Além dos custos financeiros, sua cirurgia irá lhe impor desconforto, tempo longe do trabalho, mudança de rotina de vida, risco médico e a possibilidade de desapontamento real e imaginário. Isso tudo fica bem mais fácil quando se este bem seguro do que se quer.

Riscos em cirurgia plástica

Ao contrario de uma cirurgia de emergência, a cirurgia plástica é uma cirurgia eletiva, e tem por obrigação ser realizada no melhor momento para o paciente e minizar os riscos. Para isso você deverá falar abertamente sobre sua saúde e eventuais medicamentos que faz uso, e seguir as orientações pré e pós operatórias.
 
Ainda assim, todo procedimento cirúrgico envolve risco de complicações. A cirurgia plástica, assim como tudo na medicina, não é uma ciência exata e, por vezes, mesmo seguindo a risca todos os procedimentos necessários, o corpo pode responder de forma inesperada. Se o infortúnio acontecer, ano há cupa médica, estaremos tão desconfortáveis quanto você. Felizmente, complicações graves são mais raras que as mais brandas e a maioria delas acaba levando apenas a um prolongado período de recuperação, sem comprometer o resultado final da cirurgia.
 
Caso aconteça, estaremos sempre a seu lado até tudo ser resolvido. Afinal, somos um time. Falaremos sobre as causas do eventual problema e suas soluções com honestidade e clareza para minimizar sua ansiedade. Seremos humildes se percebermos que não somos capazes de resolver o problema e lhe indicarmos um especialista.
 
Naturalmente, ao se considerar uma cirurgia, nunca se pensa que uma complicação possa acontecer com você. Ainda assim, riscos e complicações acontecem ocasionalmente, por isso é bom conhecer algo sobre os mais comuns. 
Podem ocorrrer sangramentos durante ou após a cirurgia que podem interferir no processo de cicatrização e aumentar o risco de infecção. O suo de aspirina, anti-inflamatórios e ervas medicinais duas semanas antes e após a cirurgia, hipertensão descontrolada, dor, vômitos, esforço excessivo e constipação podem causar sangramento após a cirurgia, nestes casos, o sangue acumulado deve ser drenado.
 
Independente do uso de drenos, podem ocorrer acúmulos de fluido entre a pele e estruturas profundas devido a liquefação de gordura, é o que chamamos de seroma. Se isso ocorrer, curativos compressivos e drenagem do liquido através de punção serão necessários.
 
Atualmente, as infecções após cirugia plástica são bastante raras. Porem, é importante que você saiba reconhecer os seus sinais e sintomas, para que possa nos avisar. Os sinais sistêmicos incluem febre, sensação de moleza e calafrios, os sinais locais são vermelhidão ao redor da incisão, inchaço, dor, calor e saída pus entre os pontos. Infecções superficiais são tartadas na maioria das vezes com curativos e pomadas antibióticas, as mais profundas podem necessitar de antibióticos e até cirurgia para limpeza.
 
Raramente estruturas profundas como vasos sanguíneos, músculos e nervos podem ser lesados durante a cirurgia. A ocorrência destas lesões podem ter sintomas temporários ou permanentes. Em relação aos nervos, tanto os motores quantos os sensitivos podem ser lesados, levando a graus variáveis de paralisia muscular e alterações da sensibilidade na região operada. Essas alterações costumas ser temporarias e o retorno da função normal ocorre habitualmente após alguns meses. Felizmente, seqüelas permanentes são raras.
 
Durante a cicatrização, qualqur incisão pode evoluir de forma mais lenta devido a fatores como infecção, tensão na ferida, diminuição da circulação, fumo, pressão externa, desnutrição, carência de vitaminas, diabetes e outras síndromes clinicas. É fundamental estar em boas condições na hora da cirurgia. Felizmente, o resultado final não costuma ser significativamente afetado e pode ser melhorado, caso seja necessário, através de cirurgias de refinamento.
Apesar da utilização das técnicas mais modernas em cirurgia plástica, é possível que cicatrizes anormais surjam na pele e/ou nos tecidos profundos. Curiosamente, algumas pessoas e/ou regiões do corpo (peito, ombro e face) possuem uma tendência a formação de cicatrizes hipertróficas e queloides. As cicatrizes podem apresentar relevo e coloração diferentes da pele vizinha, sintomas como queimação, coceira e dor e dopem alargar-se discretamente durante o pós-operatório. Apesar de ser impossível prever, a resposta de cada pessoa, as sintomas e a aparência das cicatrizes costumas melhorar durante o processo de amadurecimento que ocorre em qualquer cicatriz e que dura de seis meses a dois anos. Além do emprego de técnica refinada, como medida preventiva, utilizaremos tratamentos adicionais incluindo massagens com cremes específicos, curativos especiais, injeção de corticóides, aplicação de placas de silicone, antibióticos, radioterapia e até cirurgia se acharmos necessário para melhorar o aspecto dessas cicatrizes. Estão claro que, pacientes fumantes apresentam um risco maior de complicações em relação a cicatrização.
 
Ocasionalmente, podem ocorrer reações alérgicas às substancias anti-sépticas, pomadas, suturas, esparadrapos e medicamentos utilizados durante ao tratamento. Estes problemas são raros, simples e facilmente resolvido através da sua suspensão ou substituição do agente causador. Em circunstancias extremamente raras, as reações alérgicas podem ser graves e necessitarem de tratamento hospitalar. Os sinais de alergia incluem o aparecimento de placas ou manchas avermelhadas na pele, inchaço e prurido local onde houve contato com o agente responsável. Interrompa o uso de qualquer medicamento que leve ao aparecimento desses sintomas e procure assistência medica imediata.
 
O corpo humano é naturalmente assimétrico. Portanto, podem haver pequenas variações em relação à simetria dos resultados obtidos pela cirurgia, especialmente em casos onde a assimetria está presente antes do procedimento. Mesmo seguindo um planejamento técnico rigoroso que normalmente é capaz de proporcionar resultados satisfatórios, é impossível garantir a perfeita simetria dos resultados. Caso haja assimetria inaceitável, pequenos procedimentos adicionais podem ser suficientes para sua correção.
 
Os procedimentos em cirurgia plástica visam corrigir deformidades e melhorar a aparência. Apesar dos procedimentos serem realizados com grande probabilidade de sucesso, a especialidade não é uma ciência exata, e a insatisfação pode ocorrer tanto para o paciente quanto para o cirurgião. Felizmente, os resultados adversos são raramente permanentes e podem ser melhorados através da realização de cirurgias de correção.
 
Complicações clinicas graves, como alguns tipos de reações alérgicas a medicamentos, embolia pulmonar, arritmias cardíacas, infarto e hipertermia maligna são extremamente raras, mas não impossíveis de acontecer. Portanto, é fundamental que nos informe qualquer condição clinica pré-existente durante a consulta médica para que sua cirurgia seja planejada de forma segura.

Sua consulta

O grande crescimento da Cirurgia Plástica tornou um pouco difícil identificar um cirurgião plástico qualificado. Antigamente, a cirurgia plástica era realizada unicamente por cirurgiões plásticos, hoje muitos médicos oferecem procedimentos estéticos.

Consideramos a formação um aspecto de grande influencia no resultado final de sua cirurgia. Você pode checar nosso Curriculun no aba Dr. Guilherme / Curriculun, ou fazer uma pesquisa no sites www.cremerj.org.br, www.cbc.org.br, www.cirurgiaplastica.org.br.

Sua consulta representa uma das etapas mais importantes do nosso tratamento. Grande parte da ansiedade demosntrada por alguns pacientes pode ser atenuada por uma boa consulta. Pacientes bem informado costumam evoluir de forma mais satisfatória. Sua consulta lhe oferecerá todas as informações desejadas ou necessárias, mesmo que sua cirurgia seja contra-indicada.

Nela, discutiremos sua expectativas, analisaremos o problema a ser corrigdo e opinaremos honestamente sobre o tratamento. Analisaremos se seus desejos são viáveis, se o procedimento desejado é adequado a seu caso e a motivação que lhe leva a cirurgia. Apontaremos as vantagens e desvantagens de forma clara e objetiva. Não haverá tempo pré-estiulado, você necessitará de tempo para se decirir e cada um tem o seu tempo. Após essa primeira consulta você realizará outras consultas-retorno para nos conhecermos melhor. Sua cirurgia será adaptada a você.

Somos consciente que não existe perfeição, vamos melhorar sim, mas não tornar perfeito seremos realistas, você poderá levar um modelo de abdome ou seios de seu agrado, mas consciente de que aquilo deve servir apenas como referência do que se espera, já que sua pele, personalidade, entre outros fatores, interferem no que poderemos fazer. Um acompanhante é bom, ele lhe dará apoio, e terá uma segunda opinião sobre tudo que conversaremos.

Após um exame clinico rigoroso e detalhado chegaremos, em consenso sobre seu diagnostico e proposta de tratamento. Sem duvida, lhe informaremos sobre todos os aspectos da cirurgia, pré e pós-operatórios, acreditamos que pacientes mais informados têm menos ansiedade e inseguraça e isso influenciará positivamente no resultado final da cirurgia. Solicitaremos exames pré-operatórios de rotina e por vezes uma consulta com um especialista em outra área e exames específicos para seu caso. Cirurgia é coisa seria e essa etapa diminui as chances de complicações.

Você assinara um Termo de Consentimento Informado e Autorização para tratamento, que demosntrará seu entendimento e aceitação em relação aos potenciais riscos e benefícios associados a cirurgia, isso demosntra confiaça mútua entre médico e paciente.

Sobre os aspectos financeiros, lhe informaremos os custos de sua cirurgia, equipe médica, hospital e materiais especiais a serem utilizados. Acreditamos na democratização da nossa especialidade, Colocaremos a sua disposição sob medida a você, atendendo dessa forma a suas necessidades financeiras.

DR. GUILHERME PADILHA DO CARMO
CIRURGIÃO PLÁSTICO | CRM 5273450-0

FACEBOOK

Curta nossa página

CONTATE-NOS

Teremos prazer em responder

Três Rios/RJ
Rua Gomes Porto, 225, 6 andar, sala 601, Centro
(24) 2255-4442


Rio de Janeiro/RJ
Praia do Flamengo, 66, bloco B
Sala: 1802 - Flamengo
(21) 2245-4320 / (21) 2225-1361


Petrópolis/RJ
Avenida Portugal, 313 - Valparaíso
(24) 2245-0614 / (24) 2237-0877