Cigarro e Cirurgia Plástica | Dr. Guilherme Padilha | Cirurgião Plástico | Cigarro e Cirurgia Plástica

Cigarro e Cirurgia Plástica

 

Cigarro e Cirurgia Plástica 

 

Se voce e fumante e pretende fazer uma cirurgia plastica saiba que cigarro e cirurgia plastica nao combinam. O cigarro e hoje um dos principais causadores de doença e , quando se trata de procedimentos cirúrgicos suas quase 4.000 toxinas pode ocasionar graves riscos ao paciente.

 

Fumantes que associarem cirurgia plastica e cigarro podem ter complicações em alguma etapa do processo. Diversos tipos de problemas, desde a anestesia ate a etapa final de cicatrizacao.  Por esse e por outros motivos recomendamos que parem de fumar antes da cirurgia.

 

O cigarro e agressor do sistema respiratorio, possui milhares de toxinas. Seu uso continuo leva a aumento na produção de muco, redução dos mecanismos de proteção do pulmão e tosse frequente. O fumante crônico pode desenvolver efisema,  que e a perde de parte do pulmão, resultante em dificuldade de oxigenação.

 

A produção excessiva de muco predispor ao aparecimento de pneumonias. Durante a anestesia pode também atrapalhar a oxigenação. A tosse frequente, atrapalha no pos operatório, levando a sangramento e por vezes grandes hematomas, que em alguns casos, nos obrigara a uma reoperacao para retirada deste sangue acumulado.

 

Dentre as milhares de toxinas, a nicotina tem papel de destaque, produz vasoconstricao, que e a redução do calibre dos vasos, o que resulta na ma circulação dos tecidos. Sem receber sangue, os tecidos podem morrer, e o que chamamos de necrose. Esta necrose acarreta em grandes distorções dos tecidos, produzindo por vezes cicatrizes muito ruins. O risco de necrose e maior nas cirurgias com grandes descolamentos como abdominoplastia, mamoplastia e lifting facial. Principalmente por este motivo cirurgia plástica e cigarro não combinam.

 

Registro que alem do sangue chegar em menor quantidade nos tecidos, ele chega mal oxigenado, pelo comprometimento do pulmão. Uma cicatriz, para ficar de boa qualidade, precisa receber glicose e oxigênio para o bom metabolismo das celulas, o que não ocorrera em fumantes. Recebendo pouco oxigenio, o tecido ficara mais propenso a infeccoes.

 

A trombose também e outra complicação importante do cigarro. Ela e a formação de coágulos, geralmente nas veias das pernas. Caso este coagulo se solte das pernas e chegue ao pulmão, causara a embolia pulmonar, causa frequente de morte pós-operatória. Sendo assim recomendamos que o cigarro seja deixado de lado no mínimo 30 dias antes da cirurgia.

 

O cigarro na cirurgia plastica pode ocasionar um risco maior de infecção, o desaparecimento lento de possíveis hematomas, uma cicatrizacao mais lenta, problemas com a anestesia, abertura dos pontos por hematoma ou por causa da tosse, problemas circulatórios, ma oxigenação dos tecidos, trombose e embolia pulmonar.

 

Normalmente o recomendado e que a paciente pare de fumar pelo menos um mes antes da cirurgia e continue sem fumar pelo menos mais um mês no pós-operatório, para que assim o pós-operatório seja pouco mais seguro e tranquilo. Para algumas cirurgia como o face lifting, recomendamos que para de fumar por seis meses antes da cirurgia dada nossa preocupação com hematomas e necroses.

 

Se voce pretende realizar alguma cirurgia plástica, e possui grande dificuldade de parar de fumar, va diminuindo a quantidade de cigarros diariamente. Assim, quando faltar um mês de antecedência para sua cirurgia, voce conseguira parar e seguir o tempo recomendado sem essa droga.

DR. GUILHERME PADILHA DO CARMO
CIRURGIÃO PLÁSTICO | CRM 5273450-0

FACEBOOK

Curta nossa página

CONTATE-NOS

Teremos prazer em responder

Três Rios/RJ
Rua Gomes Porto, 225, 6 andar, sala 601, Centro
(24) 2255-4442


Rio de Janeiro/RJ
Praia do Flamengo, 66, bloco B
Sala: 1802 - Flamengo
(21) 2245-4320 / (21) 2225-1361


Petrópolis/RJ
Avenida Portugal, 313 - Valparaíso
(24) 2245-0614 / (24) 2237-0877